Arquivo | Abril, 2013

Governador de Tete Acusado de Ameaçar e Intimidar Famílias atingidas pela Vale

27 Abr

A Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais – ADECRU tem recebido, com muita preocupação e profunda indignação, as graves denúncias de ameaças e intimidação que têm sido protagonizadas por membros do Governo Provincial de Tete e pela própria Vale, muitas vezes com recurso a Polícia da República de Moçambique-PRM, contra famílias indefesas, atingidas e reassentadas pela Vale, na Unidade 6 do Bairro 25 de Setembro na Vila de Moatize e na Região de Cateme que reivindicam pacificamente seus direitos. Continuar a ler

Famílias Atingidas Dão Ultimato a Vale e Ameaçam Endurecer a Luta

22 Abr

A Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais – ADECRU denuncia, com urgência, a captura do alegado “processo de negociação” ora em curso entre representantes da Vale e das 1365 famílias, por ela atingidas e reassentadas na Região de Cateme e Unidade 6 do Bairro 25 de Setembro.

A ADECRU comunica, igualmente, as graves denúncias de tentativas de manipulação, ameaças e intimidação sofridas por representantes das 1365 famílias e tornadas públicas após a realização do primeiro encontro, no dia 19 de Abril último, nas instalações do Governo Distrital de Moatize, entre as 15h30 e 16h30. Continuar a ler

Famílias Atingidas Forçam Diálogo com a Vale e Prometem Endurecer a Luta

19 Abr

A Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais – ADECRU manifesta grande preocupação e cepticismo em relação ao anunciado “processo de negociação” entre representantes da Vale e das 1365 famílias atingidas e reassentas na região de Cateme e Unidade 6 do Bairro 25 de Setembro, marcado para o final do dia de hoje, 19 de Abril de 2013, nos escritórios da Vale em Moatize mas que a última hora foi alterado para o Governo Distrital de Moatize. As famílias que estarão no diálogo são provenientes de Cateme, bairro 4 – Nthibu, bairro 25 de Setembro e Capanga na Zona de Matchikitchiki.

Após dois dias de intensos protestos e da paralisação de todas as actividades do “Projecto Carvão Moatize”, a Vale viu-se forçada a dialogar com as famílias que prometeram endurecer a luta caso não sejam urgente e integralmente satisfeitas as suas reivindicações. Continuar a ler

Nota das Organizações e Movimentos Sociais sobre a violência e criminalização de manifestantes em Moatize com pedido de medidas urgentes

19 Abr

Exmo Sr. Presidente,

Há mais de quatro anos, membros das 1365 famílias da região de Cateme, em Moçambique, têm realizado ações pacíficas para reivindicar seus direitos, que foram violados com a instalação do projeto de mineração de carvão, da mineradora brasileira Vale S.A. Essas comunidades foram vítimas de remoção compulsória e reassentadas nos Bairro 25 de Setembro, Cateme e Bairro 4, sob promessas que em grande parte não vêm sendo cumpridas pela empresa. 

Por volta das 14 horas da última terça-feira, 16 de abril, mais de 500 pessoas, na sua maioria jovens oleiros, membros das famílias reassentadas, dirigiram-se ao escritório da Vale S.A., no Bairro 9, na Vila de Moatize, com a esperança de se reunirem com representantes da empresa para reabrir uma negociação, visando ao cumprimento imediato dos acordos de indenização e de compensação firmados. Continuar a ler

Violência e Confrontos entre Polícia e Famílias na Mina da Vale em Moçambique

18 Abr

A Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais – ADECRU denuncia com urgência o uso excessivo da força, intimidação e perseguição às famílias e cidadãos indefesos, que desde o passado dia 16 de Abril de 2013 protestam e reivindicam seus direitos, depois de terem sido atingidos e reassentados desumanamente pela Vale em finais de 2009. Denuncia igualmente a detenção arbitrária do cidadão Refo Agostinho Estanislau, pela Polícia da República de Moçambique (PRM), afecta ao Comando Distrital da PRM de Moatize, acusado alegadamente de “incitação a violência”.

A ADECRU exige a soltura imediata do Senhor Refo Agostinho Estanislau, que a PRM e os agentes dos Serviços de Informação e Segurança do Estado (SISE) parem imediatamente com a perseguição de cidadãos e famílias que, de forma legítima, lutam pela reposição e observância de seus direitos e liberdades fundamentais; que deixem de apelidar de “cabecilhas” pessoas que estão no exercício de um direito constitucional, baseado no princípio democrático popular de participação directa. Continuar a ler

Atingidos pela Vale Bloqueiam e Forçam a Paralisação da Mina em Moçambique

17 Abr

A Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais – ADECRU, uma importante associação moçambicana de estudantes e jovens, na sua maioria provenientes do meio rural, filhos e filhas de camponeses e camponesas de todo o País, reconhecida pelo seu trabalho no engajamento democrático e inserção produtiva de diversos actores comunitários na luta pela construção de um poder popular e de uma agenda soberana de desenvolvimento sociopolítico, económico e cultural das comunidades rurais, manifesta a sua profunda e incondicional solidariedade e apoio a mais de 1365 famílias atingidas e reassentadas pela Vale no Bairro 25 de Setembro e região de Cateme, que desde às 14 horas de ontem, dia 16 de Abril de 2013, tentam sem sucesso dialogar com os responsáveis desta empresa. Uma vez mais, exortamos as autoridades governamentais locais e nacionais para uma intervenção urgente visando a resolução definitiva deste conflito, que já se alastra a mais de quatro (4) anos, cujo principal responsável é a Vale em conivência e cumplicidade com sectores importantes do Governo moçambicano.

Informações colhidas pela ADECRU durante esta manhã junto das famílias atingidas, jornalistas, trabalhadores da Vale e fontes locais, indicam que por volta das 14 horas de ontem, 16 de Abril de 2013, mais de 500 pessoas, na sua maioria jovens oleiros, atingidas e reassentados em Cateme, 25 de Setembro e residentes do Bairro 4, concretamente na região de Nthibu, dirigiram-se ao escritório da Vale, cita no Bairro 9, mais conhecido por Carbomoc, nome da extinta empresa Carbonífera de Moçambique, na Vila de Moatize. Continuar a ler

Posição da ADECRU sobre a “Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional” em Moçambique

8 Abr

O Grupo dos oito Países com economias consideradas mais desenvolvidas do mundo, conhecido por G8, em conivência com o Governo de Moçambique, gigantes corporações transnacionais e instituições financeiras multilaterais procedem, nos próximos dias 10 e 11 de Abril de 2013 na capital moçambicana, Maputo, o lançamento oficial da última e violenta fase de ajustamento estrutural do século XXI, mascarada e expressa na chamada “Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional em África”. 

A Nova Aliança resulta de um acordo assinado por cerca de 40 estados e instituições financeiras e organizações multilaterais internacionais em 2009 na cimeira do G8 de L’Aquila, Itália, depois de ter sido apresentada pela primeira vez pelo Governo dos Estados Unidos da América, sob a liderança do Presidente Barack Obama. Com esta iniciativa, o G8 argumenta que pretende cooperar com os Governos africanos para libertar 50 milhões de africanos da pobreza, 3.1 milhões dos quais em Moçambique entre 2012 e 2022. Com o referido acordo foi ainda estabelecido um suposto Programa Mundial para Agricultura e Segurança Alimentar do Banco Mundial estimado em US$ 20 mil milhões. Continuar a ler