Arquivo | Abril, 2014

Oleiros de Moatize voltam a exigir indemnização à mineradora Vale Moçambique

30 Abr

Imagem

Os oleiros de Moatize voltam a pressionar a mineradora Vale Moçambique.  Conforme escreve o jornal Malacha publicado na vila de Moatize, em causa esta o dossier indemnização.

Numa carta datada de 23 de Abril enviada aquela multinacional, os oleiros prometem voltar a manifestar no próximo domingo, 4 de Maio na Vila de Moatize.  

Em resposta a mineradora Vale Moçambique considera o aviso dos oleiros de realizar no próximo domingo mais uma greve de para pressionar a empresa a responder às suas exigências de clara falta de vontade em resolver pacificamente o assunto deste grupo, nos seguintes termos”:
Continuar a ler

Anúncios

The governments of Mozambique, Brazil and Japan Launch the Last Offensive Against the Resistance of CSO and Social Movements to Prosavana

22 Abr

Maputo, 2014, May, 21th, the Coordination Team of Prosavana Program established by the Institute of Agrarian Investigation of Mozambique (IIAM) (in representation of Mozambique government), the Japanese International Cooperation Agency (in representation of Japanese government) and the Brazilian Cooperation Agency (in representation of Brazilian government), launch in Nampula on 22 and 23 April, their last offensive meant to capture the agenda of Mozambican Civil Societies Organizations and Social Movements.

Covered up in a seminary of Divulgation of Results of Agrarian investigation in the Nacala Corridor, where CSO, famer organizations, companies, Academic institutions and institutions of research will participate, this meeting in Nampula represent the last phase of consults regarding to Prosavana, in an act that mean to manipulate and seek to legitimate the program through the population of Nacala Corridor, CSO and Social Movements that oppose this imperialist and colonialist program for more than two (2) years.

The Academic Action for the Development of Rural Communities – ADECRU, an important Mozambican association of students and young people, mostly from countryside, recognized for its work in the fight for democratic engagement and productive insertion of several communities stakeholders in the prioritization, implementation and assessment of socio-political, economical and cultural of Rural communities’ agenda, has been following, attentively and denounce the new configuration and matching of interest and onset colonies among stakeholders involved in Prosavana whose circus takes us back to the conference of Berlin (1884 – 1885), with the division and effective share of Nacala Corridor and not only, between Japan and Brazil.  Continuar a ler

Governos de Moçambique, Brasil e Japão Lançam última Ofensiva contra Resistência das OSC e Movimentos Sociais ao Prosavana

21 Abr

Maputo, 21 de Abril de 2014−A Equipa de Coordenação do Programa de Desenvolvimento da Agricultura nas Savanas Tropicais de Moçambique−Prosavana, constituída pelo Ministério da Agricultura através do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique-IIAM (em representação do Governo de Moçambique), Agência Japonesa de Cooperação Internacional (representando o Japão) e a Agência Brasileira de Cooperação (em representação do Brasil), lança nos próximos 22 e 23 de Abril, na Cidade de Nampula, a última ofensiva de silenciamento e captura da pauta de reivindicação e luta das organizações da sociedade civil e movimentos sociais de Moçambique.

Camuflado em um suposto Seminário de Divulgação dos Resultados de Investigação Agrária no Corredor de Nacala, no qual participarão Movimentos e Organizações da Sociedade Civil (OSC), organizações de camponeses, empresas, instituições de ensino e de pesquisa, este encontro de Nampula representa a derradeira fase de consultas sobre o Prosavana, num acto que se pretende manipular e buscar legitimar o Programa junto das Comunidades do Corredor de Nacala, OSC, Movimentos Sociais que há mais de dois (anos) se opõem a este programa imperialista e colonial.

A Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais – ADECRU, uma importante associação moçambicana de estudantes e jovens, na sua maioria provenientes do meio rural, reconhecida pelo seu trabalho na luta pelo engajamento democrático e inserção produtiva de diversos actores comunitários na priorização, definição, implementação e avaliação da agenda de desenvolvimento sócio-político, económico e cultural das comunidades ruraisacompanha, atentamente e denuncia a nova configuração e emparelhamento dos interesses e das investidas coloniais entre os actores imperialistas envolvidos no Prosavana cujos contornos nos remetem a Conferência de Berlim (1884-1885), com a divisão e partilha efectiva do Corredor de Nacala e não só, entre o Japão e Brasil. Continuar a ler