Arquivo | Fevereiro, 2015

Poluição do Porto Seco de Carvão da JINDAL Atinge 30 mil Pessoas em Moçambique

4 Fev

(Moatize, 04 de Fevereiro de 2015)−Os megaprojectos de mineração não provocam apenas deslocamentos e reassentamentos forçados das famílias camponesas em Tete. Um levantamento feito por uma equipa de militantes e pesquisadores da ADECRU, mostra que mais de 6 mil famílias enfrentam sérios e graves problemas de saúde, provocadas pela poluição do porto seco de carvão mineral da Jindal, ameaçando moradores de cinco bairros municipais da Vila de Moatize. São cerca de 30 mil pessoas atingidas severamente pela poluição do carvão mineral.

Porto Seco da Jindal em Moatize

Porto Seco da Jindal em Moatize

Os moradores dos bairros 7, 8, Chipanga 7, Chipanga 12 e Carbomoc, na Vila municipal de Moatize, Província de Tete, estão sujeitos a aspiração severa do pó e cinzas de carvão mineral durante 24 horas por dia emitido pelo Porto Seco da Jindal, instalado no antigo parque de automóveis da extinta empresa Carbonífera de Moçambique (Carbomoc). Trata-se de um caso extremamente grave de exposição contínua das famílias à poluentes concentrados e altamente nocivos à saúde humana a curto, médio e logo prazos. Continuar a ler