Comunicado de Imprensa: ADECRU E ACB divulgam Resultados da Pesquisa sobre Organismos Geneticamente Modificados

20 Jun

ADECRU E ACB divulgam Resultados da Pesquisa sobre Organismos Geneticamente Modificados

Comunicado de imprensa

Maputo, 20 de Junho de 2017 – A Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais (ADECRU) e The African Centre for Biodiversity (ACB) apresentam, no próximo dia 21 de Junho de 2017,na cidade de Maputo[1], os principais resultados da primeira fase de pesquisa sobre Organismos Geneticamente Modificados em Moçambique, realizada entre os meses de Novembro de 2016 e Abril deste ano. Igualmente, serão partilhados conhecimentos e informações sobre o estágio actual das leis e políticas de harmonização de sementes em curso no país e na África Austral.

A publicação destes resultados insere-se no âmbito do lançamento do relatório “O ataque do milho Geneticamente Modificado em Moçambique, Minando a biossegurança e os camponeses” produzido pela ADECRU e ACB. O documento sistematiza e analisa as alterações feitas na legislação de biossegurança no país com vista a permitir a realização de ensaios em campos confinados de Organismos Geneticamente Modificados implementados pelo projecto “Milho com Eficiência Hídrica para África (WEMA – sigla em inglês: Water Efficient Maize for Africa)” financiado pelas Fundações Monsanto/ Gates.

A ADECRU e ACB em aliança com outras organizações parceiras na região e a nível global “estão a resistir a regimes de semente que retiram a inovação aos camponeses e os converte em meros receptores passivos de inovações do estilo topo-base que favorecem os interesses corporativos privados”. Igualmente, “muitas intervenções e acções já foram empreendidas por movimentos sociais e s organizações da sociedade civil para desafiar a protecção da Propriedade Intelectual (IP) baseada na Convenção Internacional para a Protecção de Novas Variedades de plantas (UPOV) e leis de sementes harmonizadas que bloqueiam os camponeses num sistema de sementes construídas externamente, obrigando os camponeses a usarem próprias marcas e a proibir-lhes do exercício de seus direitos históricos para guardar, conservar, trocar e vender sementes conservadas em celeiros e também patentes no Tratado Internacional sobre Recursos Fitogenéticos para a Alimentação e a Agricultura (ITPGRFA).”
Participam deste evento, representantes das instituições do governo e sector privado, membros da sociedade civil e público em geral.

Para mais informações:
António Gaveta: 861404969 | antoniogeraldogaveta@gmail.com
Agostinho Bento: 846104930 | agostinho@acbio.org.za
Website: http://www.adecru.org.mz /Email geral: adecru2007@gmail.com

 

________________________________________
[1]Local: Sala de conferência das Cáritas, cruzamento entre Rua de Resistência e Rua Bento Mukwessuane, Bairro de Malhangalene, Cidade de Maputo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: